Jump to content

Recommended Posts

Fim dos Tempos

Capitulo 21

 

 

 

Desolação: Ação ou efeito de desolar (-se). /Destruição, devastação. /Aflição.

Sabe... Naqueles dias, quando todas essas coisas descritas até agora começarem a se manifestarem, como você acha que as pessoas reagirão? O mundo vai estar em plena desesperança. Imagine cenas chocantes dos demônios centauros enfiando seus ferrões nas pessoas para lhes infligir dor e tormento... Imagine esses demônios entrando e possuindo os corpos das pessoas que tanto os adoraram. As forças armadas – Exército, marinha e aeronáutica – detodos os países deverão ser acionadas para tentar deter essa invasão alienígena. Imagine essas pessoas que se dizem “bidu”, ou cartomantes, os que mechem com tarô, com esse negócio de ler o que os astros dizem... Imagine quando um deles estiver em seu pleno funcionamento... Claro, porque, com certeza, muitos irão procurar ajuda para essas pessoas dizerem como se salvarem de toda essa destruição. Imagine que, durante uma das seções deles, um dos demônios centauros chega destruindo o teto e invade o lugar onde eles estão. Todos gritam e o demônio “faz a festa” ali dentro.Imagine um demônio centauro aparecendo bem na frente de um cara ateu que aparece no YouTube. O demônio olha para ele, o reconhece e diz:

Ah! Você é aquele cara da internet que é ateu, não é? É sim... Eu me lembro de você. Eu assisti todos os seus vídeos. E, cá entre nós, você está certinho em não acreditar nessas coisas mesmo, sabe?

Talvez ele tente fugir, mas o demônio voa, pousa bem na frente dele novamente e completa:

Veja eu, por exemplo. Eu não existo. Sou apenas um fruto da imaginação do escritor que está escrevendo essa história, não é?

Talvez o cara diga, tremendo de medo:

O quê que você quer comigo? Eu não fiz nada pra você.

E o demônio diz:

Você? Não... Você é um cara legal. Pena que você não vai continuar a fazer os seus vídeos, não é? Eu gostava muito deles...

O cara:

Não? Por quê? Você vai me matar?

O demônio:

Matar? Rsrsrs... Não. Antes fosse. Você sofreria menos.

E entra no corpo do cara. Ele fecha os olhos e, quando abre novamente, não tem mais ninguém ali perto dele. Então ele volta para continuar fazendo o que ele iria fazer. Mas depois de um tempo, quando ele chega à sua casa – se é que a casa dele ainda estaria de pé, pois, pelo que eu sei, ele mora numa cidade que fica perto do litoral – ele vai para a cozinha tomar um copo d’água para pensar se aquilo que aconteceu foi mesmo real ou não. Ele toma um gole e encosta a mão na pia, enquanto olha fixamente para o chão, pensando: “Aquilo não pode ter sido real. Eu falei com um demônio, cara! Mas demônios não existem...” Ele bebe mais um gole, olha para os lados e pensa: “Isso tudo está muito esquisito. Primeiro aquele cara do governo, depois aquele cometa, depois os vulcões, depois aquele alienígena...” Ele vai caminhando para a sala e continua pensando: “Isso tudo está muito estranho, cara. Acho que esse é o fim da humanidade. Acho que tudo está chegando ao fim.” Ele olhou pela janela da sala, enquanto tomava outro gole de água, e pensou: “Olha só essa paisagem. Isso tudo está muito calmo e tenebroso.” De repente, foi como se ele tivesse visto alguém aparecer atrás dele pelo reflexo da janela, mas, quando ele olhou, não tinha ninguém!

Então, houve um barulho de porta se fechando na direção dos quartos. Ele foi até o corredor, olhou, mas não viu nada. De repente, era como se um som muito grave começasse a tomar conta do apartamento e a ficar mais alto. Tudo parecia que estava tremendo distorcidamente em sua cabeça e ele não conseguia pensar direito. Ele deixa o copo cair no chão e, de repente, tudo para! Fica tudo calmo novamente. Ele olha para os lados sem entender e então, as paredes do apartamento começam a se desfazerem como se fossem feitas de papel, que vai se queimando e virando cinzas e flutuam pela sala. As paredes se transformam em paredes velhas e gastas, como se aquele apartamento ficasse dentro de um prédio que foi destruído pelas chamas há muito tempo. Ele ouve um sussurro logo atrás da nuca dele que o faz arrepiar. Ele olha de uma vez, mas não tem ninguém. Ele resolve sair dali e vai até o elevador, mas a porta dele está destruída e escancarada. Ele não acha seguro e foge pelas escadas.

Ele vai descendo até a rua e, quando saí para a calçada, vê que a cidade está toda destruída. Ele olha aquilo e pensa: “Não pode ser possível. Não tinha nada assim agorinha! Estava tudo bem... O que aconteceu? O que está acontecendo comigo? Acho que estou ficando louco.” Então ele começa a ouvir vozes e ver vultos que vem de uma vez, como se fosse devorá-lo! A cada vez que um vulto surgia, ele gritava desesperado de medo. E vinha um, outro, e outro, e mais outro, e outro! E não parou, até que, de repente, ele é atropelado por um ônibus. Sorte que o ônibus já estava indo apenas com a força da acelerada inicial que o motorista deu duas esquinas atrás.O rapaz, então, cai no chão com uma dor inacreditável na cabeça. Ninguém veio ajudá-lo, pois, no ônibus, o motorista estava tendo convulsões, devido ao efeito do veneno em seu corpo. Depois de longos vinte minutos de agonia no chão. O rapaz tenta se levantar, mas ele parece meio tonto. Com o olhar vago. Então ele sai caminhando naquela cidade que, para ele, estava totalmente destruída.

Assim, ele ficou sendo atormentado durante muito... Muito tempo. Um tempo maior do que ele gostaria de se lembrar.E esse era apenas um dos meios de tortura mental e física que os demônios gostavam de fazer. Como eles existem desde o princípio do tempo, eles sabem praticamente de tudo sobre a humanidade. Seus pontos fortes, os fracos, os anseios em geral, o desejo incessante que as pessoas têm pela perfeição... E eles sabiam como usar tudo isso muito bem para destruir completamente a vida de alguém. Eles podem muito bem fazer alguém acreditar que tudo que ele sempre quis, tudo que ele sempre sonhou, nunca vai acontecer, ou que nunca será possível que aquilo aconteça com aquela pessoa. Eles dizem que aquilo pode acontecer com qualquer pessoa, menos com aquela pessoa.Mas, naqueles dias, eles não precisarão ter o cuidado de não serem vistos, pois todos os contemplarão com seus próprios olhos.

 

 

 

 

 

“(Ezequiel 33:29) Então saberão que Eu sou o SENHOR, quando eu puser a terra em desolação e terror, por causa de todas as abominações que cometeram.

Continua...

Edited by InterPlay
Link to comment
Share on other sites

×
×
  • Create New...